Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2016
César Borgia

A sua vida inspirou Maquiavel a escrever o Principe, modelo de político sem escrupulos, que foi livro de cabeceira de várias cabeças coroadas da Europa e não só.

Viveu no Renascimento, época de luzes e sombras, de papas corruptos: no Renascimento cunhava-se moeda nas igrejas e violavam-se mulheres.

 

Resultado de imagem para cesare borgia

 

 

César Bórgia (em italiano: Cesare Borgia; Roma, 13 de setembro de 1475 - Viana, 12 de março de 1507), foi um príncipe, cardeal e nobre italiano da Renascença europeia. O Duque de Valentinois era filho de Rodrigo Bórgia, eleitoPapa Alexandre VI em 1492, com Vannozza dei Cattanei[1]. Entre os seus irmãos estão Giovanni Bórgia, Lucrécia Bórgia e também Gioffre Bórgia. Além dos quatro mais conhecidos filhos de Rodrigo, existiram também meios-irmãos de mães desconhecidas, e entre eles está Pedro Luís de Borja e Girolama Borja.

Após o assassinato de seu irmão Giovanni, César abandona a carreira religiosa para tornar-se guerreiro, onde é nomeado Duque de Valentinois. César casou-se com a francesa Charlotte de Albret, e teve com ela uma filha, Luisa Bórgia. Conviveu com figuras ilustres como Leonardo da Vinci e Nicolau Maquiavel, inimigos de sua família, de forma que ele chegou ao ponto de prender Da Vinci para que ele construísse armas para seu exército. Seu poder e influência enfraqueceram após a morte de seu pai, o papa Alexandre VI, e sua sucessão pelo papa Júlio II, notável inimigo dos Bórgias. César chegou a ser preso, mas escapou da prisão, e foi morto na cidade de Viana, na Espanha.

  

Vida

Nascido em Roma, em setembro de 1475, como a maioria dos segundos filhos da nobreza italiana, César foi educado em seus primeiros anos para se tornar um homem da Igreja[2], como seu pai fora. Indubitavelmente seu caráter não era de um religioso[3]. Como o pai, César foi um sensual, e suas ligações femininas são amplamente reconhecidas desde sua adolescência. Foi apontado como amante de sua irmã Lucrécia Bórgia, embora tal informação não possua grandes confirmações. [carece de fontes]. Ainda no que diz respeito às suas relações com os irmãos, é sabido que Césarnão era muito amigável com Giovanni. Sobre sua ordem de nascença, há uma versão que diz ser Giovanni o mais velho dos filhos de Rodrigo e Vanozza; mas devido a uma série de bulas emitidas após o assassinato do rapaz, não é possível confirmar a informação.

Abandona a carreira eclesiástica - à qual nutria pouco gosto, utilizando como justificativa o assassinato do irmão Giovanni, a quem deveria substituir nos assuntos temporais, já que Giovanni era capitão das forças militares do papado. Feito Duque Valentino em 1498 pelo rei Luís XII de França, que queria um papa aliado, César Bórgia tornou-se modelo para o livro O Príncipe, de Maquiavel[4], com quem conviveu durante um tempo. Calculista e violento, tentou, com o apoio do pai, constituir um principado na Romanha em 1501[5]. César também esteve próximo da ilustre figura de Leonardo da Vinci, que trabalhava para ele como engenheiro e arquitecto, e a quem ornecia ao mesmo passe ilimitado para inspeccionar e orientar toda a construção em andamento e planejadas em seu domínio.

No dia 31 de dezembro de 1502, para se livrar de seus inimigos - dentre eles, Oliverotto de Fermo, convidou-os para seu palácio de Senigallia, depois aprisionou-os e assassinou-os. Após a morte de seu pai, foi encarcerado sucessivamente pelo papa Júlio II e pelo rei de Castela[6]. Escapando daquele reino, serviu como soldado no exército de Navarra - cujo rei era seu cunhado. Foi assassinado aos trinta e um anos, no ano de 1507, em Viana, no Reino de Navarra[7]. Está sepultado na Iglesia de Santa María de Viana, Viana, Navarra na Espanha.[8]

No cinema, César Bórgia foi representado por Orson Welles no filme Prince of Foxes. Foi também interpretado porFrançois Arnaud na série The Borgias, de Neil Jordan, finalizada em junho de 2013. E, ainda, na versão europeia produzida por Tom Fontana, Borgia: Faith and Fear, o personagem vem sendo encarnado pelo ator Mark Ryder.[carece de fontes]

No jogo Assassin's Creed: Brotherhood, César Bórgia assume o papel de principal antagonista, sendo ele hipoteticamente um Templário, inimigo da família Auditore. [carece de fontes]



publicado por pimentaeouro às 21:40
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Mundo virtual

Auto retrato... colectivo

Declaração Universal dos ...

Pesadelo

Top

Alucinado

Desastre nacional

Pasion

A mão invisível

Vida tão estranha

O Mistério da rua Pascoal...

Há sempre uma saída

Aldrabão

Confusão

Trova do Vento que passa

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

carttons

ciência

cinema

civilização

clima

comunicação social

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensaio

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

férias

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

De onde venho ?

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

Para onde vou?

Sou um San

O Século xx Português

Pater Famílias

Avesso dos Lusíadas #2

links
últ. comentários
O homem é imprevisível, restam-nos hipóteses.Os me...
Está visto que não há milagres....
Parece-me que os avanços da medicina prolongam-nos...
O que estará à nossa espera, com ele à frente dos ...
Eu, um metro e sessenta e cinco (posso chegar ao m...
E uma conquista civilizacional do Ocidente e como ...
Pergunto-me frequentemente se a DUDH já foi esquec...
O tema é controverso. Salazar foi ditador mas não ...
Não me lembro se já o li, vou procurá-lo e aumenta...
Um pesadelo mesmo!
Pode acontecer, não é ficção. Nas costas da praia ...
A tristeza é a companhia mais assidua na velhice.
Muito intenso, um bom texto, mas triste...
15 metros?! Quando existirem marés vivas, lá se va...
blogs SAPO
RSS