Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Terça-feira, 14 de Fevereiro de 2017
Desastre nacional

Resultado de imagem para cartoons ensino

 

O 25 de Abril respondeu à massificação do Ensino Publico com o facilitismo, a Escola deixou de ser autoritária e passou a ser uma brincadeira; não há autoridade, o professor é igual ao aluno, a disciplina é desnecessária e outros dislates do género. Tudo o que é necessário para um desastre.

Esta doença mental continua, passados 40 anos, a reinar no Ministério da Educação, o que retira qualquer racionalidade aos métodos pedagógicos, deixou de ser um problema de esquerda ou de direita para ser uma doença.

Vem este arrasoado a propósito da última  iniciativa daquele ministério, o Orçamento Participativo das Escolas, destinada aos alunos do secundário e do 13º. Ano, ou seja alunos entre os 14 e os 19 anos.

Vamos por partes, o OPE visa dotar os alunos de «capacidade de tomar decisões, ajudá-los a compreender o funcionamento das instituições democráticas, apelar ao espírito de cidadania e participação, proporcionar momentos de debate entre os estudantes. Neste paleio generalista cabe tudo o que quizeremos, existe apenas um grão de areia para estragar a festa no reino de Pangloss .

Entre os 14 e os 19 anos existem estádios de desenvolvimento e de compreensão muito diversos, estamos entre a quase criança e o quase homem ou mulher, mas este fosso não preocupa o sr. Ministro da Educação.

Dada a gravidade do «Estado da Nação» só vejo uma solução, bombardear o Ministério da Educação... quando o sr. Ministro lá estiver.

 


tags:

publicado por pimentaeouro às 20:00
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Robespierre

É urgente o Amor

Corsários e Piratas Portu...

Amigo António

Conversa com uma amiga

Faleceu Madalena Iglésias

Faleceu Madalena Eglesias

Tenho fases, como a Lua

Cantigas de escárnio e ma...

Defender criminosos

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

aves

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

ciência

cinema

civilização

clima

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

mitologia

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sofrimento

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

O que resta

A correr

Guarda-jóias

Feliz Natal

do Natal - Uma bruxa dife...

Apenas

Esperança

A rapariga que roubava fl...

Nada é em vão

De amor nua

links
últ. comentários
As inovações levam tempo a ser aplicadas de forma ...
Obrigado.Desejo-lhe um bom Ano Novo.
Amigo João, Gostava tanto de transmitir-lhe um pou...
A esperança é a última coisa a perder!Há inovações...
Esta doença maldita, crónica, dói sempre não tem c...
Tudo tem uma razão de ser, logo há motivo(s) para ...
Obrigado.
Devemos sempre manter a força, mas custa encarar o...
Diz-se que não há fumo sem fogo. Não sabemos onde ...
Não conhecia a história, obrigada!
blogs SAPO
RSS