Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Quarta-feira, 20 de Abril de 2016
Elixires
 

 

  

Ao longo de séculos e  milénios a Humanidade tem sonhado com variados elixires: Época de Ouro (passado), o Santo Graal, a alquimia do ouro,  a juventude eterna, o amor eterno – porventura o menos insensato de todos -, etc.

Não existe uma História Universal dos Sonhos, que nos dê conta do seu registo, apenas estão presentes na memória colectiva dos povos.

Nas últimas décadas conseguimos uma imitação tosca da juventude eterna, prolongado a velhice por mais uns anos. Melhor seria que a medicina tivesse realizado este milagre prolongando a idade da juventude, mas temos de ter paciência e esperar sentados: pode ser que aconteça. Omitindo o elevado custo psicológico de prolongar a velhice, fica uma montanha de problemas para resolver, nomeadamente a conta da farmácia e dos hospitais.

Para não nos embriagarmos excessivamente com o prolongamento da velhice convém fazer algumas contas simples: as células da pele  renovam-se em poucos dias mas não há cosmético que consiga combater o seu envelhecimento, as células do fígado renovam-se em ano e meio, varias células do cérebro na terceira idade morrem e já não se renovam.

O prolongamento da velhice é o oposto ao elixir da eterna juventude: em lugar de corpos esbeltos e muita alegria, temos corpos decadentes e solidão.

Apesar de ter levado milhões de anos a evoluir, o corpo humano não deixa de ser um «amontoado» de peças mal montadas. Imaginar que se renova harmoniosamente, não passa de mais uma utopia.

Nos dias de hoje, o elixir da juventude encontra-se difundido numa cultura – e num negócio prospero – de parecer jovem, ser jovem de qualquer forma e a qualqer preço , exibir juventude quando todos estão a ver que por detrás das sucessivas operações plásticas esta uma pessoa mais velha. Uma fauna especial diz respeito aos que se consideram jovens de espírito mesmo que já estejam decadentes.

Existem especulações acerca do limite para a duração do Homem e sobre a suposta capacidade de o cérebro aumentar, alguns especialistas afirmam que esse limite vai até aos 115 anos.

Não existe qualquer prova objectiva de que isto possa ser verdade, pelo contrário. Algumas pessoas, poucas, aproximam-se até esta idade ase têm capacidades limitadas.  

Ao contrário dos mitos, velhice é uma coisa chata e pouco romântica, há imensa solidão  e isolamento na velhice.

 

tags:


publicado por pimentaeouro às 12:46
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De A rapariga do autocarro a 20 de Abril de 2016 às 14:29
Para a humanidade ter juízo é que não inventam nada!


De pimentaeouro a 20 de Abril de 2016 às 22:26
Não há remédio possível.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Proverbios arábes

Aleijadinho

De onde venho?

Raríssimo ou talvez não.....

IRMÃO HOMEM

O piolho viajante

Eternidade #3

Cuidado com o Ana

As sete maravilhas

Por este rio acima

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

aves

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

ciência

cinema

civilização

clima

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

mitologia

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sofrimento

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

Apenas

Esperança

A rapariga que roubava fl...

Nada é em vão

De amor nua

Vazio

Uma criança

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

links
últ. comentários
Na minha idade questiono-me se não poderia ter viv...
Por certo não falhaste.Por certo fizeste a tua par...
Valeu-nos os Espanhóis andarem entretidos com as g...
Já fiz o luto da minha primeira mulher. Agora rest...
... Agora é menos bonita. A velhice tem muitos inc...
O acaso é o grande fazedor de vidas, dramas, felic...
Viveu e Vive de forma tão bonita!*
Como pode um episódio tão doce ter um final tão dr...
Amigo João,Não sei encontrar palavras para si, por...
blogs SAPO
RSS