Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2016
Gengis Kan

Genghis Khan

 

Gengis Khan (1162-1227) foi um imperador mongol. Unificou os mongóis – um povo nômade e antes dividido em dezenas de tribos e clãs. Criou um império que ocupava metade das terras até então conhecidas.

Gengis Khan (1162-1227) nasceu em um território entre as montanhas sagradas da Mongólia, na Ásia Central, no ano 1162. Herdeiro de Iasugai, chefe do clã dos Kiyatas-borgigin, família da mais antiga nobreza do povo mongol, recebeu o nome de Temujin e cresceu em meio a outras crianças à sombra das tendas. Com 9 anos de idade ficou noivo de Borte, filha do chefe dos konguirat , de acordo com os costumes dos mongóis.

Em 1175, com a morte prematura do pai envenenado em um banquete oferecido por uma tribo tártara, Temugin com apenas 13 anos de idade é o novo líder de sua tribo. Recebe o chicote e o estandarte do clã, mas os guerreiros de seu pai não aceitam a liderança de um garoto. O pequeno acampamento é atacado, Temugin tem de abandonar as terras onde viveram seus antepassados.

Depois de quatro anos de perseguições e lutas pelas montanhas, Temugin parte para reclamar a noiva. No acampamento dos konguirat é recebido com festas. Recebe como dote, um manto de zibelina preta, que vale mais do que todas as propriedades do seu clã. A esposa traz consigo muitas tendas, servos e escravos. Certo dia, ao regressar de uma caçada, encontra as tendas vazias e parcialmente incendiadas. Os merkitas saquearam o acampamento. Sua esposa está entre as mulheres raptadas.

Temugin fez aliança com outras tribos e lançou-se à luta. Ao encontrar sua esposa e retornar vitorioso, ganha prestígio sendo nomeado o chefe da tribo. Também mudou o nome de Temujin para “Gengis” (guerreiro perfeito). Numa luta contínua pela hegemonia das tribos, vence os temíveis tártaros, ganhando a simpatia da dinastia Chin, que reinava na China e eram constantemente ameaçadas pelos tártaros.

Dominadas, pouco a pouco, todas as tribos mongóis, Gengis decide legalizar seu poder. Em 1189 é reconhecido como "Khan" (chefe supremo). Reuniu os códigos de leis das diferentes tribos numa só, constituindo o Jasak, decidindo que chegou a hora da expansão. Entre 1208 e 1209, Gengis Khan conquista grande parte do território dos tangout. Em 1211, os mongóis invadem o império chinês dos kin, que resistiram dentro das cidades fortificadas. Em 2014 abandona a China carregando os tesouros imperiais.

Em 1215, alegando que os chineses haviam rompido o tratado de paz, Gengis Khan destrói Pequim e deixa aí seus generais. Em 1218 volta-se contra o Turquestão, império dos Kara-Khitai. Entre uma conquista e outra, Gengis Khan fundou a cidade de Karakorum, que se tornaria a capital de suas imensas possessões.

Até então, Gengis Khan havia limitado suas ambições à Ásia Oriental. Em 1219 iniciou a travessia das grandes cadeias montanhosas do Himalaia que isolavam os povos da Ásia Central e Oriental das civilizações da Ásia Ocidental. O exército mongol atacou a Pérsia e outros grandes centros muçulmanos. Em 1221, conquista Cabul, no Afeganistão.

Na tarefa de continuar a marcha para oeste, durante dois anos, levam o terror à Geórgia e às estepes do sul da Rússia, e sobem até a Criméia. Depois invadiram a Bulgária e chegaram ao mar Adriático, que banha as costas orientais da Itália. Mais ao norte chegaram até a Polônia. Seu alvo seguinte é o sul da Ásia. Numa batalha contra os remanescentes do reino dos hsia, os Tangout, Gengis Khan é golpeado e morre.

Gengis Khan faleceu no reino dos tangout, no sul da Ásia, provavelmente no dia 18 de agosto de 1227. Em local indeterminado, junto às montanhas sagradas dos borgigin, foi enterrado o “Imperador de Todos os Homens”.



publicado por pimentaeouro às 21:48
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Finalmente!!!

Mundo virtual

Auto retrato... colectivo

Declaração Universal dos ...

Pesadelo

Top

Alucinado

Desastre nacional

Pasion

A mão invisível

Vida tão estranha

O Mistério da rua Pascoal...

Há sempre uma saída

Aldrabão

Confusão

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

carttons

ciência

cinema

civilização

clima

comunicação social

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensaio

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

férias

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

De onde venho ?

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

Para onde vou?

Sou um San

O Século xx Português

Pater Famílias

Avesso dos Lusíadas #2

links
últ. comentários
Nem sequer na Cova de Iria.
Tem razão, há muito sofrimento prolongado pela med...
A velhice tem quatro fantasmas: a solidão, a doenç...
O homem é imprevisível, restam-nos hipóteses.Os me...
Está visto que não há milagres....
Parece-me que os avanços da medicina prolongam-nos...
O que estará à nossa espera, com ele à frente dos ...
Eu, um metro e sessenta e cinco (posso chegar ao m...
E uma conquista civilizacional do Ocidente e como ...
Pergunto-me frequentemente se a DUDH já foi esquec...
O tema é controverso. Salazar foi ditador mas não ...
Não me lembro se já o li, vou procurá-lo e aumenta...
Um pesadelo mesmo!
Pode acontecer, não é ficção. Nas costas da praia ...
A tristeza é a companhia mais assidua na velhice.
blogs SAPO
RSS