Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Sábado, 27 de Fevereiro de 2016
Leituras #1

Resultado de imagem para bibliotecas

 

Comecei a ler aos 19 ou 20 anos e não parei até hoje. Poesia, romance de autores portugueses e estrangeiros, História Universal e da Pátria, sociologia e finalmente divulgação cientifica.

Também naquela época comecei a ler jornais, habito que se mantem igualmente até hoje. Durante vários anos foi leitor do Diário de Lisboa até à sua extinção. Depois de Abril houve mais oferta de jornais, hoje, os que restam, lutam pela sobrevivência.

No romance, li Camilo, Eça de Queirós, Jorge Amado, Tostoi e outros.

A História de Portugal que me interessa é a dos historiadores pós José Mattoso, que enterrou mitos e lendas dos historiadores até meados do século XX, a História de Portugal Cordenada por Rui Ramos. A História de Portugal de  José Hermano Saraiva que já vai na 25ª edição está muito bem estruturada, excepto nas causas e interpretação dos «achamentos» que teria criado um suposto Império da India, na realidade apenas ocupamos dois pequenissimos terrítorios no litoral, império houve com a ocupação e domínio do Brasil.

As lendas das Desescobertas encontram-se hoje desmistificadas; Corsários e Piratas Portugueses, ( sub titulo Aventureiros nos mares da Ásia) de Alexandra Pelúcia enterra os mitos daquela saga que nos levou à decadência e ao subdesenvolvimento.

Na divulgação cientifica interessa-me a cosmologia e a astronomia e a antropologia. Do Big Bang às galáxias, das galáxias às estrela de primeira e segunda geração e destas últimas áos planetas. No cosmos as distancias são inimagináveis, milhões e milhões de quilometros que a luz leva séculos a percorrer.


tags:

publicado por pimentaeouro às 12:00
link do post | comentar | favorito (1)
|

2 comentários:
De golimix a 28 de Fevereiro de 2016 às 10:07
Uma vida plena de vastos interesses e plena de palavras!



De pimentaeouro a 28 de Fevereiro de 2016 às 20:08
Os livros foram a minha Universidade e a minha pele.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Flamenco #3

Guantanamera

S. Pedro zangado

Flamenco #2

Ciro II

Ricos e pobres

Reformar, reformar

Flauta de pan

A EMEL é fel

Aurora boreal

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

carttons

ciência

cinema

civilização

clima

comunicação social

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensaio

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

férias

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

Para onde vou?

Sou um San

O Século xx Português

Pater Famílias

Avesso dos Lusíadas #2

links
últ. comentários
Esperemos que não fique zangado muito mais tempo.....
E uma metáfora do nosso país. Temos muitos pobres ...
Não resistem...
Será que existirá sempre este fosso enorme?
Os casos que refere são excepções que não traduzem...
Mas nos anos 50/60 já havia por cá mulheres que ti...
Não há melhor.
um excelente estado de alma!
blogs SAPO
RSS