Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Domingo, 28 de Fevereiro de 2016
Leituras #2

Na divulgação cientifica interessa-me a cosmologia e a astronomia e a antropologia. Do Big Bang às galáxias, das galáxias às estrela de primeira e segunda geração e destas últimas áos planetas. No cosmos as distancias são inimagináveis, milhões e milhões de quilometros que a luz leva séculos a percorrer.

No planeta terra, formado há 4.500 milhões de anos, sucederam-se as Eras, Paleozóico, Mesozóico e Cenozóico com as respectivas populações que evoluiram em complexidade; bactérias, algas, animais de corpo mole, peixes, anfibios, insectos, plantas, répteis, florestas de pteridófitas, répteis terapsideos, dinossauros, mamiferos, plantas coniferas, passaros (filhos dos dinossauros), primatas e humanos e, finalmentee, o Homo, dito Sapiens. A terra mudou de forma, formaram-se os continentes que conhecemos hoje; a evolução nunca dorme mas não tem um plano nem uma finalidade, é o acaso que manda, não existe em parte alguma um ser criador.

Como surgiu a vida no planeta que habitamos? Na aparência, a vida é uma simples combinação de atómos de carbono, hidrogénio, oxigénios e outros atomos em pequenas quantidades. A vida acontece – só aconteceu uma única vez -, no chamado mundo ARN ( ácido ribunocleico) moléculas que funcionam como um gene e como uma enzima, o ARN  é um precursor da vida.

Qualquer ser vivo tem de possuir ADN,  o código de genes que é trasmitido à geração seguinte e a capacidade de realizar reacções quimicas para digerir comida.

Daqui para a frente é a complexa história da complexidade crescente das formas de vida até ao homem. A história da vida no planeta não é uma linha recta, aconteceram cinco extinções em massa e outras menores, a extinção mais devastadora ocorreu no periodo Permico, há 250 milhões de anos, e calcula-se que pereceram 96% das espécies existentes, salvaram-se alguns repteis, dinosauros, plantas coníferas, peixes, etc.; a vida escapou por pouco.

No final do Cretácico ocorreu uma extinão em massa, designada evento KT, va-se lá saber por quê; um meteorito com cerca de 10 quilometros de diametro, colidio com o planeta terra, na peninsula de Yucatán, no sul do México, e abriu uma cratera com cerca de 150 quilometros de diametro, pior que um diluvio as nuvens de pó cobriram a atmosfera, gelaram a temperatura e as espécies vivas morreram em massa.

É talvez mais prudente pensarmos que o planeta terra é um local pouco seguro para habitar. Se a vida não se extinguir com outro cataclismo qualquer, está condenada a desaparecer num futuro longinquo quando o Sol, no seu declinio, extinguir a terra. Não há austronauta que se salve.


tags:

publicado por pimentaeouro às 22:15
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Raríssimo ou talvez não.....

IRMÃO HOMEM

O piolho viajante

D. Manuel I

Eternidade #3

Cuidado com o Ana

As sete maravilhas

Por este rio acima

Albinoni

Beethoven

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

aves

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

ciência

cinema

civilização

clima

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

mitologia

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sofrimento

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

Mãe, até amanhã

Apenas

Esperança

A rapariga que roubava fl...

Nada é em vão

De amor nua

Vazio

Uma criança

Um fantasma

Arte de furtar

links
últ. comentários
Valeu-nos os Espanhóis andarem entretidos com as g...
Já fiz o luto da minha primeira mulher. Agora rest...
... Agora é menos bonita. A velhice tem muitos inc...
O acaso é o grande fazedor de vidas, dramas, felic...
Viveu e Vive de forma tão bonita!*
Como pode um episódio tão doce ter um final tão dr...
Amigo João,Não sei encontrar palavras para si, por...
Interessante, gosto muito de história,
Interessante, gostei de ler o seu post.
blogs SAPO
RSS