Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Terça-feira, 30 de Setembro de 2014
Para onde vou?

O homem sobreviveu até aqui porque era demasiado ignorante para realizar os seus desejos. Agora que pode realizá-los, deverá, ou reformulá-los, ou perecer.

William Carlos Williams (1883-1963)

 

 

Sou um em 6 mil milhões, numa casa cada dia mais pequena, desorganizada e perigosa. Sou apenas uma gota de água num enorme oceano.

Que sei eu do mundo e da vida? Pouco mais que nada. De predador para sobreviver  passei a destruidor e poluidor para consumir. Até quando? Pouco falta para começar a lutar pelas coisas mais básicas como a água e o pão.

Quanto mais tecnologia invento mais me  afasto da natureza que me gerou e do convívio social que faz parte da minha natureza. Não sei o sentido da mudança nem para onde me conduz e tudo o que construi é grande demais para a minha pequena dimensão. Aliás, a vida não tem e nunca teve sentido, apenas sei do seu fim anunciado.

De todos os perigos que me ameaçam; esgotamento dos recursos naturais, poluição generalizada, alterações climáticos, os arsenais de material de guerra são o perigo número um.

Como os habitantes da ilha de Páscoa, já iniciei o caminho do não retorno.

Nada disto saiu da minha cabeça, é o que me revela o saber acumulado.

 

 



publicado por pimentaeouro às 17:03
link do post | comentar | favorito (2)
|

2 comentários:
De A rapariga do autocarro a 5 de Outubro de 2014 às 20:59
Como é aquela expressão?  -  " homo homini lupus est"


De pimentaeouro a 5 de Outubro de 2014 às 22:21
 Crias-te alcateias, Senhor! E agora?


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Bruegel

Costa Gomes

Ciclo do carbono

Já cá não estarei

Conde D`Ervideira

Este louco é perigoso

Eleições

Sofrimento #6

A imensidão do cosmos

Homens bons

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

carttons

ciência

cinema

civilização

clima

comunicação social

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensaio

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

Só verão

Rouxinol

Tormenta

Razão

Fogueira

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

Para onde vou?

Sou um San

links
últ. comentários
Nada podemos fazer para os salvar de uma catástrof...
E ler isto, faz-me pensar que ainda bem que já cá ...
Quando era jovem assisti a cenas dramáticas na Naz...
Acabei de ler e publicar sobre "uma fenda na mural...
e ele coitado deve estar a achar isso uma chatice
Não tinha essa noção! É pena quando nem na velhice...
Obrigado.
As chamadas consultas da dor apenas tratam dores d...
Obrigado.
Obrigado.
blogs SAPO
RSS