Conhece-te a ti mesmo... se puderes.
Quarta-feira, 8 de Fevereiro de 2017
Procurar sinais

Procurar sinais

Eu sou a minha alma (cérebro) mais o corpo e a minha consciência reflete o mundo que me cerca e eu próprio; eu, frente a frente, comigo, indago-me.

Conheço os sinais, externos e internos, da decadência do corpo, as capacidades físicas que diminuem, novas limitações que surgem, um espetáculo desagradável.

Procuro indagar mais além e conhecer as limitações da minha consciência: a lucidez e a objectividade para me interpretar já começaram a diminuir?

Como saberei que a minha consciência começa a ter limitações, dela própria ou induzidas pelo corpo, dado que os dois são unos? Quais são os sinais de alerta? A consciência terá capacidade para os capar, mesmo quando começa a ficar limitada?

Com o avanço da idade começa a surgir a senilidade que, no limite, pode ir até à demência: a consciência adoece como o corpo e até pode sucumbir primeiro do que ele.

Só, entregue a mim próprio, tenho que ser eu a encontrar as respostas... se conseguir formular as perguntas. É complexo e é o último desafio.

 


tags:

publicado por pimentaeouro às 12:24
link do post | comentar | favorito (2)
|

2 comentários:
De Chic'Ana a 8 de Fevereiro de 2017 às 12:25
Muito intenso, um bom texto, mas triste...


De pimentaeouro a 8 de Fevereiro de 2017 às 23:26
A tristeza é a companhia mais assidua na velhice.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

Robespierre

É urgente o Amor

Corsários e Piratas Portu...

Amigo António

Conversa com uma amiga

Faleceu Madalena Iglésias

Faleceu Madalena Eglesias

Tenho fases, como a Lua

Cantigas de escárnio e ma...

Defender criminosos

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

aves

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

ciência

cinema

civilização

clima

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

mitologia

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sofrimento

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

O que resta

A correr

Guarda-jóias

Feliz Natal

do Natal - Uma bruxa dife...

Apenas

Esperança

A rapariga que roubava fl...

Nada é em vão

De amor nua

links
últ. comentários
As inovações levam tempo a ser aplicadas de forma ...
Obrigado.Desejo-lhe um bom Ano Novo.
Amigo João, Gostava tanto de transmitir-lhe um pou...
A esperança é a última coisa a perder!Há inovações...
Esta doença maldita, crónica, dói sempre não tem c...
Tudo tem uma razão de ser, logo há motivo(s) para ...
Obrigado.
Devemos sempre manter a força, mas custa encarar o...
Diz-se que não há fumo sem fogo. Não sabemos onde ...
Não conhecia a história, obrigada!
blogs SAPO
RSS