Conhece-te a ti mesmo... se puderes.

Quarta-feira, 24 de Maio de 2017
A vida sem sentido

A nossa noção de tempo abrange poucas décadas: um século já é muito longe para nós. Como eram os portugueses no início do século XX? Mal podemos  imaginar e é apenas um século: como era Portugal no tempo das guerras civis entre liberais e miguelistas? Apenas  sabemos o que a História nos diz.

Construímos as primeiras pequenas vilas há cerca de 5.000 anos e iniciamos a agricultura há cerca de 15.000 anos, tudo tempos inimagináveis para nós: um milénio é um mistério e nada represente na escala do tempo.

Para entendermos a escala do tempo temos que realizar a comparação com uma medida de tempo que compreendemos, um ano. Assim,

A Terra tem cerca de 4 550 000 000 (quatro biliões e qui­nhentos e cinquenta milhões) de anos. Se comprimíssemos todo este tempo no espaço de um ano e determinássemos que a Terra teve o seu início a 1 de Janeiro e que hoje é dia 31 de Dezembro,

 

  1. os primeiros seres microscópicos teriam surgido por volta do dia 1 de Março,
  2. os ancestrais peixes — os primeiros invertebrados — só teriam aparecido no dia 21 de Novembro.
  3. Para evoluir do estado puramente químico, a vida precisou de 750 milhões de anos, depois de mais três mil milhões de anos (dois terços da idade da Terra) para conseguir criar a complexidade dos peixes.
  4. Daí para a frente, as coisas mudaram rapidamente, mas até que alguns peixes tivessem colonizado a terra, já teríamos chegado a Dezembro.
  5. Os anfíbios teriam aparecido no dia 2 de Dezembro,
  6. seguidos pelos répteis a 8. De Dezembro
  7. Os mamíferos no dia 13 de Dezembro
  8. e os dinossauros ter-se-iam extinguido um pouco depois da hora do lanche do dia 26 de Dezembro.
  9. Os humanos só teriam chegado na noite de 31, há poucas horas.

 

A ceia, da passagem do ano, estava no inicio quando os humanos chegaram à savana africana, há cerca de 3.500 milhões de anos, uma insignificância quando comparada com a idade da Terra.

A nossa existência, enquanto humanos, com uma esperança de vida de cerca de 80 anos, são apenas breves nana-segundos nesta história.

Sendo os últimos a chegar à boca de cena como foi possível que puséssemos em perigo todo o planeta? A vida não evoluiu no sentido do progresso e nós seriamos a espécie mais evoluída, o vértice da evolução: a vida não tem sentido algum e a nossa fugaz passagem pelo planeta é a melhor prova disso.

 


tags: ,

publicado por pimentaeouro às 12:38
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (1)
|

Quarta-feira, 29 de Março de 2017
Perplexo

Vivi em dois séculos, o XX e o XXI e foi assistente meio passivo de transformações sociais e culturais de dois mundos.

Passei por uma sociedade conservadora, intolerante desfasada do mundo em permanente transformação. Depois veio a aurora libertadora plena de promessas mas efémera. Vivi a febre do PREC,  a sua extinção e o fim da Guerra Colonial, um marco histórico.

Portugal entrou em acelerada normalização rumo à democracia difícil e frágil, para a economia recuperar dos desvarios veio o primeiro pacote austero do FMI e dos credores, paralelamente sucederam-se governos provisórios até às primeiras eleições em democracia.

Mário Soares e o PS governaram com muitas dificuldades até conseguir a adesão à CEE e o acesso aos fundos comunitários. A normalização da sociedade prosseguia mas as dificuldades económicas prosseguiam também. Como remédio o PSD e o CDS impuseram austeridade além da Troika e como era de esperar perderam. António Costa navega entre escolhos e a economia continua doente.

Um historiador definiu o século XX do mundo Ocidental como e "Era dos Extremos", para o Bem e para o Mal, com efeito as transformações foram profundas e radicais; Portugal viveu à margem desse mundo, ainda hoje apenas temos uma estreita janela para o ver, continuamos com décadas de atraso sem qualquer hipótese de aproximação. 

A sociedade portuguesa  mudou e muito e nem sempre para melhor; as pessoas também mudaram e não sei definir o português de hoje.

Amei e fui amado, tive bons amigos, a maior parte já falecidos, de que guardo grata memória, a minha infeliz mãe morreu demente, o meu pai foi um canalha que abandonou a família e tive tios que me ajudaram. Tive a sorte de trabalhar naquilo que gostava (contabilidade), gosto que a coluna pagou, e fui meio autodidacta, vivi sem angustias existenciais e em jeito de balanço final gostava de deixar à sociedade um pouco mais do que recebi: uma existência banal num homem normal. 

Entrei relutante no século XXI e estou desencantado. A sociedade sem valores e caótica, do individualismo exacerbado, que começou a criar-se na década de 90 do século passado é contra natura.

No fim da vida, de uma vida que já vai muito longa estou desiludido e não é mal da idade é a sociedade que está doente.


tags: , ,

publicado por pimentaeouro às 20:39
link do post | comentar | favorito
|

Terça-feira, 8 de Março de 2016
Eutanásia

A bastonária dos Enfermeiros disse ao microfone o que todos dizem em surdina: pratica-se eutanásia nos hospitais públicos. Caiu-lhe o Carmo, a Trindade e arredores da hipocrisia em cima. O bastonário  da Ordem dos médicos foi o primeiro a lançar gasolina no fogo. Calma senhor bastonário, já não se queimam bruxas nas fogueiras, médicos e enfermeiros sabem melhor do que ninguém quando a morfina deixa de aliviar a dor, não praticam homicídios é a compaixão, que existe na natureza humana, que os leva a por termo ao sofrimento dos enfermos.

A morte é como o deus Juno, tem duas faces mas nós apenas gostamos de ver a face luminosa, fechamos os olhos à face negra. Há duas formas de morrer, suavemente num sono que nos transporta para o nada, dolorosamente numa agonia desesperante. Gostamos de dar opinião sobre o sofrimento alheio com a pia desculpa do amor à vida mas se nos calhar a face negra de Janos mudamos rapidamente de opinião.



publicado por pimentaeouro às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito (1)
|

Terça-feira, 18 de Agosto de 2015
A vida, sucessão de acasos

Resultado de imagem para fauna del triasico 

 

A ideia de que a evolução caminha em linha recta, rumo a uma qualquer finalidade superior não tem qualquer fundamento: na natureza o que acontece é exactamente o oposto.

A vida no planeta decorre numa sucessão de acasos: grandes extinções – a extinção dos dinossáurios, um pequeno episódio, deixou campo aberto para os mamíferos, pequenos animais nocturnos das quais descendemos, - seguidas de novos recomeços sem nexo com o passado. As espécies que sobrevivem, por qualquer acaso, retomam o seu caminho sem saber para onde vão: nós também não sabemos.



publicado por pimentaeouro às 18:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Segunda-feira, 2 de Março de 2015
O Príncipe

 

 

Que vira sapo. A história aconteceu várias vezes mas uma das últimas foi das mais complicadas. Enamoraram-se algures num bar da noite de Lisboa. O namoro avançou rápido como habitualmente

Educado, modos finos,  bom conversador, à mesa do café seduz ( os príncipes encantam com facilidade ) meteu uma viajem pré-nupcial a Marrocos, cidades e deserto a dentro, tudo pago pelo Príncipe, um mãos largas; tudo correu como num conto das Mil e Uma Noites

Pouco tempo depois casaram e ela engravidou. A meio de gravidez bateu-lhe e pô-la fora de casa. No  drama valeu-lhe o apoio dos pais.

O bebé nasceu, uma menina, e ela tentou a reconciliação. Regressou a casa  com a menina e passados poucos meses nova agressão; desta vez aprendeu a lição e apresentou queixa na polícia.

Seguiu a vida dela e ficou a saber que tinha sido mais uma vítima do Príncipe que vira sapo. Não se trata de um D. Juan que coleciona conquistas, é um desequilibrado que não tem emoções nem sentimentos: não é único, há mais.

Não é uma história cor-de-rosa onde são felizes toda a vida mas é vida, e a vida, não é como a gente quer.



publicado por pimentaeouro às 19:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

Sábado, 1 de Novembro de 2014
1.000

O Sapo informam-me que editei mil posts. Não foram todos escritos por mim, há textos de outros blogues, da imprensa, de livros, alguns poetas,  alguns pintores, musica, etc.

Tudo descontado talvez restem 900 textos meus. É o mundo que consigo enxergam da minha nau, não digo caravela porque não tenho estatura para isso.

Alguns amigos e amigas tiveram a gentileza de visitar e fazer comentários ao meu blogue. Com frequência isso ajudou-me a continuar, a não desistir. Aqui fica o meu reconhecido agradecimento.

Como irá ser daqui para a frente? Não faço a menor ideia, o que for será.


tags:

publicado por pimentaeouro às 22:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito (1)
|

Domingo, 18 de Maio de 2014
Géneros

 

 

A mulher é conservadora: conserva as relações; conserva a família; conserva a vida; conserva as flores. O homem é predador, destrói.


tags:

publicado por pimentaeouro às 10:50
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
posts recentes

A vida sem sentido

Perplexo

Eutanásia

A vida, sucessão de acaso...

O Príncipe

1.000

Géneros

arquivos
tags

???

ambição

amizade

amor

animais

antropologia

armas

arquitectura

arte

arte biografias

astronomia

ballet

biografias

biologia

blogues

café curto

carttons

ciência

cinema

civilização

clima

comunicação social

corrupção

criminosos

crise financeira

demagogia

demência

demografia

descobrimentos

desemprego

destino

diversos

doenças

dor

economia

eleiçoes

ensaio

ensino

escravatura

escultura

estado

estupidez

eternidade

ética

eu

eutanásia

evolução

família

filosofia

futebol

genocídio

governo

greves

guerra

história

incendios florestais

inquisição

internacional

justiça

literatura

livros

memória

miséria

morte

mulher

mulheres célebres

musica

natureza

natureza humana

paisagens

paleontologia

partidos políticos

patologia ideológica

pátria

pintura

planeta terra

pobreza

poesia

politica

regime político

religião

saudade

saúde

segurança social

sentimentos

sexo

sindicatos

sociedade

sonhos

tecnologia

terrorismo

terrorismo de estado

testamento vital

tristeza

união europeia

universo

velhice

vida

violência

xadrez

todas as tags

favoritos

É xenofobia sim.

Um fantasma

Arte de furtar

Deus existe? #2

Para onde vou?

Sou um San

O Século xx Português

Pater Famílias

Avesso dos Lusíadas #2

links
últ. comentários
Sabia da estratégia do contar das histórias, mas n...
Que seja um bom dia.
Pertence à literatura medieval alemã. Frades liber...
Que maravilha para começar o dia!!!
Teve a sorte de ter uma boa professora e declamado...
Gosto muito deste poema.Tive a sorte de no 10º e n...
Já os vi na televisão e em sonhos :)
Mas teve o trabalho de pesquisa ;)
blogs SAPO
RSS